Separar Pedido

Olá nesse post iremos tratar um assunto que em muitas gestões de distribuidoras causa certa dor de cabeça para o pessoal de vendas e faturamento.

Trata-se do tratamento do pedido feito pelo vendedor no seu cliente aonde a distribuidora não consegue atender o pedido em sua totalidade por conta de falta de produto em estoque. Nesse caso ou o pedido é atendido com corte e fatura-se o pedido para o cliente com os itens faltantes e o vendedor numa visita futura tira um novo pedido com os itens novamente ou espera a chegada dos itens faltantes para poder faturar o pedido para o cliente.

No software Dlógica temos uma solução bacana para esse caso, o botão “Separar Pedido“, ele se encontra na tela ws132 – Gerar Faturamento, aonde consiste em o profissional do faturamento da distribuidora conseguir separar o pedido em dois pedidos, um com os itens a serem atendidos na hora pela distribuidora e outro que fica em carteira esperando a chegada dos itens faltantes para faturar para o cliente. Veremos abaixo um vídeo que demonstra essa funcionalidade do software.

Separar Pedido

Obrigado!!!

MOBILE / RETAGUARDA – Ciclo completo do pedido com rebaixe de item bonificado.

Neste post é demonstrado como configurar, transmitir o pedido, gerar a ordem de faturamento entre outras funções dessa venda que é diferenciada.

O vídeo para exatamente no momento da integração da ferramenta, Mobile com a ferramenta Retaguarda, são retratados os seguintes passos:

Configuração: Informar ao sistema os produtos que serão oferecidos na condição combinada com o fornecedor. Configurar a conta para o qual será relacionado o custo da mercadoria a ser cobrado.

Venda: Caso não tenha visto, segue o link onde demonstro em efetivo o lançamento do pedido com rebaixe de preço por bonificação.

Rebaixe por bonificação no Mobile

Integração: Transferência do sistema Mobile para o sistema de Retaguarda.

Gerar faturamento: Não consiste em falar sobre o faturamento, para isso temos outros videos nos canais oficiais, mas sim apenas demonstrar um modelo de DANFE, representando o mesmo pedido no mobile.

Cobranças: Conforme o que foi estipulado com o fornecedor, o aplicativo lança no contas a receber o valor de custo da mercadoria, que será cobrado da conta referenciada no cadastro do fornecedor, neste caso serão 3 cobranças lançadas, 2 para fornecedores diferentes de produtos, 1 para o cliente ao qual foi realizada a venda justamente o valor da nota fiscal de venda.

Ciclo completo do pedido – Mobile / Retaguarda

Obrigado!

MOBILE – Rebaixe do preço de venda por bonificação.

No ramo de distribuição existe uma prática muito usada nas negociações, o rebaixe do preço de venda de mercadoria mediante ao envio de bonificações.

Como funciona?

O distribuidor tem um acordo com o fabricante onde ao seu cliente ele faz 10 por 1, a cada 10 itens vendidos ele bonifica seu cliente com + 1 unidade, porém essa prática em pode variar de acordo com o regime tributário praticado pela distribuidora, uma distribuidora do tipo Lucro Real geralmente opta por fazer o rebaixe do preço de venda da mercadoria, diferentemente da Lucro Presumido que opta geralmente pelo envio de uma NFe bonificada.

Como fazer o rebaixe?

O rebaixe aplicado deve ser referente aos produtos do Fabricante e da mesma marca / família, onde os produtos serão bem semelhantes, ou seja, causa uma certa dificuldade em fazer o pedido, obedecer todas essas regras principalmente quando o distribuidor trabalha com muitos fabricantes e os pedidos com vários itens, perde-se muito tempo em fazer o cálculo sem contar com a qualidade dessa informação.

A dificuldade não se encontra apenas em fazer o lançamento do pedido, além do pedido é necessário fazer o lançamento do contas a receber do fabricante, caso isso não seja feito como você vai receber o produto bonificado, lembre-se do acordo que foi feito com o fabricante!

O sistema de mobile Dlógica é preparado para essa entre outras necessidades que estão presentes no dia a dia de uma Distribuidora. Em seguida um vídeo onde essa prática é demonstrada, inclusive o cálculo realizado: Rebaixe por bonificação no Moblie

Obrigado!!!

NF-e 4.0

Atenção para as mudanças e validações que passaram a valer para NFe 4.0.

Você certamente já deve ter ouvido falar na NF-e 4.0, certo? Afinal, é um modelo atualizado da nota fiscal eletrônica (NF-e) que precisa ser renovado constantemente para atender às novas demandas que vão surgindo. Isso acontece porque, de tempos em tempos, a Secretaria da Fazenda faz alterações estratégicas neste documento fiscal com o objetivo de melhorar a fiscalização e facilitar o dia a dia de quem o emite. Então, se você produz e vende produtos, fique atento a este artigo!

Quais são as principais mudanças da NF-e 4.0?

Entre as principais novidades está a adoção do protocolo TLS 1.2 ou superior, sendo vedado o uso do protocolo SSL como padrão de comunicação, como vinha ocorrendo. Dessa maneira, é possível garantir maior segurança ao processo, o que não ocorria antes devido à vulnerabilidade do protocolo SSL.

Está prevista também a modificação nos campos relativos ao Fundo de Combate à Pobreza (FCP) para operações internas ou interestaduais com Substituição Tributária (ST) . O layout da NF-e será alterado para identificar o valor referente ao percentual de ICMS relativo ao Fundo de Combate à Pobreza, previsto no artigo 82 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, que não são atendidas pelos campos criados no Grupo de Tributação do ICMS para o estado de destino.

Outra informação importante que será alterada é o campo indicador da forma de pagamento. Agora, passará a integrar o Grupo de Informações de Pagamento, que, por sua vez, prevê o preenchimento com dado sobre o valor de troco. Além disso, será preciso informar qual o meio de pagamento utilizado, como dinheiro, cheque, cartão de crédito ou de débito, vale alimentação, entre outros.

Também aparecem entre as novidades da NF-e 4.0 as seguintes modificações:

  • Nas regras de validação de atendimento a novos campos ou a novos controles;
  • No Grupo Identificação da Nota Fiscal Eletrônica, o campo indicador de presença (indPres) agora pode ser preenchido com a opção 5 (operação presencial, fora do estabelecimento), que é o que ocorre no caso de venda ambulante;
  • O Grupo X – Informações do Transporte da NF-e será alterado com a criação de novas modalidades de frete (id: X02), como transporte próprio por conta do remetente ou transporte próprio por conta do destinatário;
  • Será criado um novo grupo chamado rastreabilidade de produto (Grupo I80). Ele vai permitir rastrear qualquer produto sujeito a regulações sanitárias, como é o caso de defensivos agrícolas, itens veterinários, odontológicos, medicamentos, bebidas, águas envasadas e embalagens;
  • Passou também a ter uma atenção especial aos campos de Gtin (código de barras Ean) aonde passaram a validar o conteúdo do campo em relação ao EanTrib, unidade tributável do produto no código de barras fazendo sua checagem também junto ao NCM do produto
  • Por fim, quando se trata de medicamentos, o código da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) deve ser informado em campo específico que estreia nesta versão do documento.

o-que-muda-na-nfe-40-nota-fiscal-eletronica